segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O que espero de um candidato...



Bom, depois de um longo e tenebroso inverno, voltei a postar no meu blog, pois já estava com saudades de compartilhar minhas besteiras mais íntimas. E se você entrou aqui esperando ler algo sobre política, pode cair fora, que aqui definitivamente, não é o seu lugar!
No caso de hoje, irei falar sobre algo que não incomoda a mim tanto quanto a meu espelho!

Não vai demorar para expor minhas indignações, e só depois direi o que eu realmente espero de um candidato!
Porque vocês sabem né? Gorda não é um estado, é uma condição! Ou é gorda ou não é! Ela nunca está gorda, ela sempre É gorda, porque é algo que está impregnado no DNA da criatura! Na hora do coito, o espermatozoide mais inchado penetra no óvulo mais obeso, criando uma criança bem gorda que é a reencarnação de um espírito com o IMC passando dos 40, sofrendo com Obesidade III quando já estava desencarnado! É a ideia que eu tenho na criação de uma gorda!

Estou falando de gorda, não de gordo! Homem gordo não me importa, primeiro porque não sou homem e segundo, porque não me interessa mexxmo! Homem tem que se encharcar de hidratante e se preocupar em emagrecer pra que um macaquinho Yoga caiba nele? NÃO! Homem sofre diante do espelho quando está se maquiando e percebe que o rosto tá gordo e não tem nenhum brinco bafo que disfarce a insatisfação? NÃO! Homem deixa de usar shortinho curto ou uma saia mais curta porque suas coxas estão da largura de um pneu de caminhão? NÃO! Então, definitivamente, não me interessa. Está bem longe de saber o que é sofrer!

A questão aqui é a desmoralização das mulheres GORDINHAS, perante uma sociedade RACISTA, INJUSTA e CRUEL!!! Tá bom.. menos.. A questão aqui é o quanto nós gordinhas, somos VÍTIMAS de uma definição deturpada da real beleza feminina!!! Ok.. a questão aqui é que fico muito puta porque todo mundo emagrece menos eu!!! Pronto, falei!!!

Eu seeeeeeeii, tô calejada de sabeeerrrrr, que exercício físico aliado a uma reeducação alimentar, é o segredo para uma perca de peso significativa, saudável e para o resto da vida! Eu sei! Essa escola que você frequentou, eu fui uma das melhores alunas.... que depois foi expulsa porque foi pega agarrada com as coxinhas da cantina! A questão aqui é....

Por queeee Deus, por queeee????

Eu era super gostosa na vida passada e abusei do meu corpo? Eu mangava das gordas? Eu humilhava e sambava na cara dazinimigas? Porque se tiver sido isso, juro que aprendi a lição! Na próxima vida, quero de Giselle Bundchen pra cima, quero ser alta, magra, linda e rica, porque nessa de gorda, baixa, feia e pobre já criei foi abuso!

Enfim, esse engodo todo, foi pra dizer que se algum candidato tiver como proposta, investir em pesquisas que criem um dispositivo que iniba a fome, incentive o exercício físico e acabe com a preguiça que aflora em todos os poros de uma pele macia, porém gorda, já tem meu voto garantido!

Pode me procurar com tal proposta, que meu voto é seu! Aliás, quero a proposta do dispositivo, e uma pizza grande metade cheddar com bacon e metade portuguesa, aí sim, meu voto é seu!
Peraí, pensei melhor... Quero a proposta do dispositivo, a pizza e um pastel de chocolate com queijo coalho! Pronto, agora sim, meu voto é seu!
Não, pera...




segunda-feira, 1 de julho de 2013

Nós dois!








Pra começo de conversa, eu nunca vi até hoje, um casal em que os dois fossem completamente iguais. E de quebra, também não acredito que um casal em que os dois sejam completamente diferentes possa vir a dar certo, porque acho que algo em comum os dois tem que ter, senão os dias se tornariam impossíveis né? Porque vamos e convenhamos, o que é bonitinho no começo, com a rotina se torna insuportável.

Uma vez, contrariada, falei que éramos muito diferentes, e tão logo você me veio com uma resposta: eu não acho, pelo contrário, combinamos até demais. Não concordei, e você veio me explicar os motivos de sermos tão parecidos. Nossos gostos, nossos sonhos, nossas vontades são praticamente iguais e as coisas ficaram mais claras pra mim. E percebi que não posso querer que você seja igual a mim, nem eu nunca conseguiria ser igual a você, mas nós dois juntos podemos ser essa imperfeição maravilhosa que passa despercebida aos nossos olhos.

Você é teoria e eu sou a prática, ao mesmo tempo em que não existe uma sem a outra. Você é ouvido e eu sou boca, que se os dois se calassem ou falassem demais, não haveria comunicação.  Você é ciúmes e eu sou desligada, uma vez em que trocamos os papéis tudo fica mais gostoso. Você é alto e eu sou baixa, onde sinto seu coração bater quando estou no melhor lugar do mundo, que é o seu abraço. Você me ensinou a gostar de samba e comigo você conheceu os melhores bregas... e juntos dançamos o melhor forró e ouvimos o melhor do rock. Você me ensinou a gostar de The Walking Dead, e eu te apresentei o Friends, motivo de 1985 gargalhadas suas! Você me ensinou a calar e ouvir mais, e eu te impulsiono a se expressar mais. Você me orienta a prestar mais atenção ao meu redor, e eu te aconselho a ir em frente, sem medo! Nossa! Viu como nossas diferenças e variáveis combinam?

Estou escrevendo isso, pelo nosso aniversário ontem. Eu tenho muito a agradecer a Deus. Muito. Senti uma necessidade quase gritante de me declarar a você, de te mostrar o quanto você me faz bem. Tava vendo nossos e-mails antigos, de quando começamos a namorar, nossos sonhos, nossos planos, a saudade enorme, os ciúmes doentios, a paixão imatura que sentíamos um pelo outro... dois meninuvéi querendo brincar de casar. Tanto brincamos que nos demos mal! Hoje, posso lhe dizer do fundo do meu coração, que nunca tive tanta certeza do que quero, nunca estive tão segura das minhas decisões como tenho hoje ao seu lado. E se mesmo depois de tudo o que passamos ao longo desses anos, ainda conseguimos estar aqui apaixonados como se fosse aquela noite em que nos conhecemos, se não for amor, se não for pra ser, se não for pra valer, eu desisto de amar porque definitivamente não terei nascido pra isso, rs.

Fizemos ontem 7 anos que trocamos o primeiro olhar, o primeiro beijo e tivemos a certeza de que não queríamos nos desgrudar nunca mais. Ontem te agradeci por me fazer tão feliz e você me agradeceu por 7 anos de existência na sua vida. Crise dos 7 é para os fracos, a gente teve crise dos 4, pra podermos chegar aos 7 mais fortes do que nunca..rs. Obrigada por ser meu amor e pai dos meus filhos, obrigada por se apaixonar por mim a 7 anos atrás e obrigada por hoje estarmos vivendo a melhor fase de nossas vidas! Obrigada por me ensinar e por me ouvir... obrigada por enxugar minhas lágrimas e dizer que vai ficar tudo bem. Obrigada por ser tão diferente de mim e por fazer eu me sentir tão igual a você. Te amo nas suas imperfeições, te amo nos seus gestos de carinho e como sua esposa, prometo te amar até o dia em que decidirmos que é assim que queremos viver! E como nós dois acreditamos no nosso “para sempre”, deixa mesmo ficar subentendido...

Não gosto da idéia de se colocar a sua própria felicidade na mão do outro, já que além da enorme responsabilidade, é também um tiro no escuro e é só esperar ser decepcionado. Tenho a consciência que a minha felicidade depende somente de mim, e eu escolhi ser feliz! Escolhi ser feliz ao seu lado, eu escolhi mudar minha história, nossa história de vida e resolvi trocar o “Era uma vez...” pelo “É dessa vez...” por escolha própria, por ter fé em Deus e acreditar que temos muita coisa boa pra viver e muito ainda pra contar.

Enfim, feliz 7 anos que te vi pela primeira vez e me apaixonei... e quem diria que aquele homem lindo, cara fechada, altão, das pernona, fosse ser o pai dos meus filhos...rsrs. Te amo meu amor!!! Muito, muito, muito!

"Quem um dia irá dizer que não existe razão, nas coisas feitas pelo coração... e quem irá dizer que não existe razão..."



terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Você é feliz?




Gente que se mostra feliz demais, tem algo errado.

Nada contra a felicidade alheia, pelo contrário, dizem até que gente feliz demais é bom porque não enche o saco. Concordo. Mas expor essa felicidade, gritar, mostrar, escancarar, só mostra querer alguma aprovação e quem quer aprovação de alguém, é mal resolvido, gente mal resolvida tem a auto estima lá embaixo, e não preciso dizer que a auto estima é um dos termômetros para a felicidade.

Se estou me sentindo bem, bonita, corpinho no lugar, cabelo sedoso, pele macia, cheirosa, desejada, então meu ego vai lá pra cima e a gente se sente capaz de calçar um salto alto, passar um batom vermelho, despentear um pouco o cabelo, jogá-lo de lado e pronto, estamos de saída pra conquistar o mundo, logo, estamos felizes!

Agora minha irmã, se estamos nos sentindo feias, gordas ou magras demais, cabelo amarrado e sem brilho, pele seca e enrugada, olheiras, cansada, sensação de inchaço, ninguém nota nossa presença, ninguém liga, calçando uma havaiana pra ir no meio dos matos procurar um cipó pra se enforcar, logo, estamos infelizes.

NÃO ESTOU FALANDO QUE BELEZA É TUDO, estou falando que SE SENTIR BEM, e AUTO ESTIMA, são sim, termômetros de felicidade, porque tudo depende da cabeça, da forma como nos vemos e como vemos o mundo. Sem contar que tem que haver um equilíbrio no social, na família, no trabalho e no amor. Pode ser que estamos bem em algumas partes e em outras estamos péssimos, mas a forma como você enxerga o problema e lida com eles te diz se você terá esse equilíbrio, ou não. Porque quando alguma coisa desaba e a gente não segura as pontas, adios, vai ser uma bola de neve derrubando todo o resto. Nenhuma novidade até agora? Pois pra mim tem. Descobri que sou ótima pra resolver os problemas dos outros... e sou quem mais preciso de terapia. OMG!

Enfim.

Estou em um processo de mudanças em minha vida que de certa forma me enchem de prazer, alegrias, mas também expectativas e medo, o que não quer dizer que preciso escancarar que minha vida é um conto de fadas pra todo mundo achar que sou uma mulher bem sucedida na carreira, no amor, na família, no círculo de amizades. Até porque não sou. Nunca fui. E só serei assim no dia que ganhar na loteria, ver minha família inteira cheia de saúde e ter todo o tempo do mundo de sobra pra viajar, estudar o que eu gosto, ficar com minha família, ver meus amigos, amar muito... Pois é, e olhe lá que nem assim, iria garantir minha passagem de ida sem volta para o paraíso dos muito muito muito felizes, porque sabe-se lá como estará minha cabeça? Sabe-se lá como estará meu lado espiritual? Minhas questões, minhas neuras, minha forma de ver o mundo se já não estiver tão distorcida?

Aaahhh passei num concurso, escancare!!! Consegui um emprego, escancare!!! Meu namorado me fez uma surpresa e me derreti de felicidade, escancare!!! Ahhh fulanim me ligou, escancare!!! Arroooche, esbanje felicidade, ali, naquele momento, pronto, só!

Daí você querer a todo momento, a todo custo provar pra todo mundo que é super feliz, que sua vida é perfeita, que tá tudo muito bom... não sejamos pessimistas e vivermos emburrados, mas também porra louca não né? Extremos, extremos... sempre interferido para o nosso equilíbrio. Acabou de falar a Senhora super equilibrada, mais neurótica e perdida que filho da puta em dias dos pais, mas que tenta, mesmo a tempestades manter um pouco de serenidade e em meio à tranquilidade, trazer um pouco de confusão. Queria ser mais centrada, mais focada, mais tranquila, mais agressiva na forma de enfrentar a vida... mas e se eu fosse, eu faria parte dos muito muito muito felizes?

E assim vamos vivendo... pra que provar?? Pra quem?? O mundo por si só já cobra tanto da gente, sejamos mais leves, mais reais, mais sonhadores, tudo no seu tempo... no seu jeito... na sua essência... na SUA forma de ver. Entrega na mão de Deus, Fé, e simbora que tem gente sendo feliz no seu lugar. Feliz de verdade!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Sentir-se amado



"Sentir-se amado 

O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama. 

Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado. 

Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se. 

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também? 

Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois. 

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão severa consigo mesma, relaxe um pouco. Vou te trazer um cálice de vinho". 

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água. "Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando? Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato." 

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta. 

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo."


Martha Medeiros

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Inveja




INVEJA. Vamos analisar a palavra INVEJA.

Maria ganhou uma bicicleta dos seus pais. Oh que legal! E Maria sai feliz passeando em sua bicicleta nova, eis que aparece o Joãozinho. Joãozinho, até então, tranquilo, garotinho normal, todo mundo gosta dele e tal. Mas algo acontece dentro de Joãozinho que todos desconhecem. Ele começa a ter raiva de Maria, pois também queria uma bicicleta nova e o máximo que conseguiu dos seus pais foi um pacotinho de bila, de R$ 1,99. Ah, coitadinho, mas ele queria tanto uma bicicleta! Então Joãozinho alimentou uma raiva por Maria, porque Maria tinha algo que ele gostaria muito de ter e infelizmente não podia, pelo menos naquele momento não. Não suportava a voz, a risada de Maria, mas não sabia o por quê. E quando ela aparecia de bicicleta então? Noooossa, Joãozinho tremia de ódio. Mas Maria estava pouco se importando com Joãozinho, mandou ele se fuder, se afastou dele e viveu feliz pra sempre com sua bicicleta.

Moral clichê da história: Ter inveja é ruim, MUITO RUIM!

E só se tem inveja de alguém, quando esse alguém tem algo a oferecer que você talvez não tenha. Quando essa pessoa, não tem absolutamente nada para contribuir ao mundo, quando essa pessoa não é nenhum exemplo de moral a ser seguido, quando essa pessoa não é absolutamente ninguém, é complicado sentir inveja. Ter inveja, nunca é bom, a não ser que seja construtiva, fazendo com que você corra atrás de seus ideais, fora isso, não vejo motivos para tal.  E geralmente se tem inveja de coisas boas, tipo, uma bicicleta por exemplo.

"Aaaaaaiiiiiii meu cuuu, ela não me suporta, ela mooorre de inveja de mimmm..."
Amor, o fato de você não gostar de carne de vaca, não quer dizer que você quer ser uma. Acorda.




quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Intuição





"Aí vem a vida e esfrega na sua cara o que a intuição tentou avisar." - Fernanda Estellita


Isso é verdade. E quantas vezes mais será necessário acontecer para que eu saiba a hora de agir ou me calar? Não lembro de NENHUMA intuição minha que não tenha dado certo, não houve nenhuma desconfiança minha que não tenha se concretizado. E Deus sabe quantas vezes eu rezei para que fosse só "impressão" ou coisas da minha cabeça... se bem que chifre é coisa da cabeça mesmo, né? Deixando de lado as piadinhas infames, enfim, quero dizer que nunca me enganei quanto ao fato de "achar" que algo está acontecendo... cedo ou tarde Deus te mostra a verdade. Mas mesmo assim, vou começar a dar mais atenção às minhas intuições, pois quebrei muito a cara confiando demais, amando demais, sendo boazinha demais.

E não, não estou falando só de homem não, estou falando no geral. Amor, amizade, família, trabalho, tudo.

Quando eu tinha 17 anos, namorava um rapazinho. Éramos apaixonados e tal, e vivíamos em um grupo de amigos e fazíamos tudo juntos. Tinha uma amiga. Melhor amiga. Tive um desvio, o traí uma vez, e essa minha amiga sabia e me apoiava a ponto de não me deixar mal com isso, me fazer achar que era normal e desencanar. Tudo bem. Mas eles eram muito amigos, muito chegados, viviam juntos, e eu pensava que pudesse rolar algo entre eles, mas ao mesmo tempo não me permiti pensar ou julgar os dois. Sempre mantive a postura de que todos são inocentes até que se prove o contrário. E eles me provaram o contrário. Um dia ele soube e veio com tudo. Eu neguei, chorei, e ele me testando. Até que em um determinado momento, ele gritou dizendo que soube por essa minha amiga e que depois de saber eles acabaram ficando. Ela por gostar dele e ele pra descontar "dicunforça" em mim. Meu mundo desabou por ter sido "desmascarada" e ele ter descoberto o meu vacilo (tanto que até hoje tenho trauma de dar uma de fodona que trai e me lascar depois), como pela traição da "amiga". Resumindo, coisas de adolescentes, deixamos de ser amigas, mas logo logo esqueci tudo (defeitinho meu), anos se passaram, não sei que fim levou esse namorado e a amizade continua até hoje. Se ela ler isso, ela vai rir viu!

Outro caso, de quando era pré adolescente, sempre fui a gordinha da turma. (Odeio isso!). E claro, ainda era atrevida porque me apaixonava sempre pelos mais bonitos da escola. RÁ! E assim eu me apaixonava, namorava, casava com eles, tinhamos vários filhos, e eles nunca souberam disso. Da turma, minhas amigas magras ou gostosas chamavam atenção, recebiam elogios, eram as mais cotadas pra receber "toques" dos outros meninos (é o nooovo) e eu sempre era A amiga, A gorda, A legal. Mas eu queria ser mais, queria ser A bonita, A gostosa, A que chamava atenção. Deus não dá asa a cobra, ele sabe disso. Mas eu chamava atenção sim, pelo meu corpinho avantajado e minhas roupas ridículas! Então eu vivia em meu sonho de Alice, me imaginando namorando com um determinado DEUS da época, quando o via meu coração acelerava, eu suava frio, perdia noção e a coordenação motora das pernas, dos braços e da língua também porque eu só falava besteira quando ele chegava perto. E uma dessas amigas, em especial, até imaginei que ela fosse querer algo com ele, mas porque? Ela era a bam bam bam dos meninos da época, porque ela iria justamente ficar com o "MEU"? Ah Camilla, deixa de nóia, todo mundo é inocente até que se prove o contrário. Ela me provou. E ela sabia que eu era apaixonava por esse dito cujo, mas não exitou em um dia na sala de aula, vir me contar morta de feliz, que tinha ficado com ele, que era assim, assado, que tinha sido maravilhoso e que se eu quisesse ela me apresentaria a ele... Euuuu??? Concorrer com ela??? Jamais! Mas choreeeeeeeeeeeeiiiii tanto!

Um dia, meu irmão descobriu que eu não era, mais, digamos, mocinha, melhor dizendo. E veio me apoiar, que era normal e uma conversa tão linda... Desconfiei na hora! Tinha alguma coisa muito errada aí, no mínimo ele iria querer matar o desgraçado que fez isso com sua irmã querida. Mas depois pensei: poxa, Camilla, dá uma chance. Ele tá só querendo ser legal com você! Até porque meu bem, lembre-se que todo mundo é inocente até que se prove o contrário... É, preciso dizer que ele provou? Não né? Um dia brigando por um bife de fígado na mesa da cozinha, ele me ameaçou que se eu não desse o pedaço do fígado pra ele, ele falaria para minha mãe. Desafiei pois ele nunca seria capaz de fazê-lo. Fez. Não só fez como saiu dizendo: ÓOOOOOOIII, estalando os dedos e rindo da minha cara. Não preciso falar dos castigos, gritos e nomes que ouvi né? Maldito bife de fígado... maldito irmão. ¬¬

Até com minha mãe me decepcionei. Quando tive minha primeira menstruação, chorei muito, pois achei que minha mãe fosse ficar triste. Eu estava viajando e minha primeira regra (que lindo) foi justamente no dia do aniversário dela. Quando cheguei de viagem, fui logo contar a ela, pensando: Ai meu Deus, ela vai ficar triste, mas pensando bem, vai ser uma surpresa boa pra ela! Ela vai entender e vai dar tudo certo. Calma Camilla, todo mundo é inocente até que prove o contrário... O QUÊÊÊ????????????????????? QUANDOOOOOOOOOO ISSO ACONTECEEEUUU???? NO DIA DO MEU ANIVERSÁRIOOOOOOOO??? PORQUEEE MEU DEUS, PORQUEEEEEEE?? QUE BEEELO PRESENTE VOCÊ ME DEU VIU??? MUITO OBRIGADAAA CAMILLA, MUITO OBRIGADA!! VOCÊ NÃO DEVIA TER ANDANDO DE BICICLETA NO SOL QUENTE, TUDO CULPA SUA!!! SUMA DA MINHA FREEENTEEEE, SUMAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!! Ficou umas duas semanas sem falar comigo direito, depois ela voltou a me amar de novo.

Gostaria muito de falar de fatos mais recentes, de intuições mais interessantes, mas já está tão batido, todo mundo já sabe que não tem nem mais graça!

Enfim, por mais que eu desconfie, por mais que eu ache ou tudo à minha frente me dá a completa certeza, eu sempre me dou o benefício da dúvida, já que sempre mantive a postura de que todo mundo é inocente até qu... O CARALHO!!!!!!!!! INOCENTE O CARALHO!! INOCENTE DE CU É ROLA!! Quando se é ruim, quando se quer prejudicar alguém, quando se quer tirar alguma vantagem de alguém, a pessoa sempre dá pistas, sempre solta alguma. Cabe a gente receber e se preparar pro bote ou dar uma de Camilla otária e dar a cara a tapa e receber a chicotada prometida.

Não acho legal, certo nem coerente, você desconfiar de tudo e de todos, viver com o pé atrás, viver com medo e apontar o dedo pra quem aparecer. Sou uma prova viva disso. A gente tem que se entregar mesmo, nas amizades, nos amores, nas paixões, ir de peito aberto, consciência tranquila e bondade na alma. Não é porque uma rosa te espetou que todas as outras vão te espetar. Você quem tem que tentar desviar na próxima, mas não evitar que uma rosa embeleze e perfume sua casa. Seria irresponsável com você e com o outro, não se permitir ser feliz porque uma vez não deu certo, porque um amor não deu certo. Olha só quem tá falando isso... quem mais esculhambou todos os homens, quem mais frescou, quem mais tinha medo, quem mais pisou e foi pisada... mas ninguém melhor do que eu pra falar isso.

Mas do mesmo jeito que não acho legal, certo nem coerente dar uma de doida e querer matar todo mundo que você "acha" que está fazendo complô contra você, muito pior é ser deixada se fazer de besta por quem se diverte às tuas custas. Cada caso é um caso, e cada qual é cada qual. Deixe a sua intuição te guiar, mas não deixe as desconfianças tomarem conta de você ou de seu mundo. Cague e ande, ande e cague. O que é verdadeiro vai surgir e te fazer bem, sem esforços, o que não é, não se preocupe, pois quando a fruta é podre ela cai sozinha.

Ah... e não tô muito afim de esperar me provarem ou provar nada a ninguém não. Quem é seu amigo não necessita de explicação e quem não é, não adianta nem insistir, já que nunca vai acreditar em você mesmo!!!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

A Borboleta e o Cavalinho






Quantas vezes amamos tanto alguém e essa pessoa não tem nada mais a oferecer do que coices, mas mesmo assim persistimos e um dia as feridas causadas por aqueles a quem mais admiramos, não mais cicatrizarão e acabamos morrendo um pouco por causa deles? E o contrário? Porque temos a incrível capacidade de sermos gentis e amáveis com quem não conhecemos, enquanto apedrejamos aqueles que mais amamos?

Essa é a história da Borboleta e do Cavalinho... Vale muito a pena ler e refletir! 




Esta é a história de duas criaturas de Deus, que viviam numa distante floresta , há muitos anos atrás.
Na verdade, não tinham praticamente nada em comum, mas em certo momento de suas vidas, aproximaram-se e criaram um elo.
A borboleta era livre, voava por todos os cantos da floresta, enfeitando a paisagem. Já o cavalinho, tinha grandes limitações, não era bicho solto que pudesse viver entregue a natureza. Nele, certa vez, foi colocado um cabresto por alguém que visitou a floresta, e a partir daí sua liberdade foi cerceada.
A borboleta no entanto, embora tivesse a amizade de muitos outros animais e a liberdade de voar por toda a floresta, gostava de fazer companhia ao cavalinho, agradava-lhe ficar ao seu lado e não era por pena, era por companheirismo, afeição, dedicação e carinho.
Assim, todos os dias, ia visitá-lo e lá chegando levava sempre um coice, depois então um sorriso.
Entre um e outro, ela optava por esquecer o coice e guardar dentro de seu coração, o sorriso.
Sempre o cavalinho insistia com a borboleta que lhe ajudasse a carregar o seu cabresto, por causa do seu enorme peso. Ela, muito carinhosamente, tentava de todas as formas ajudá-lo, mas isso nem sempre era possível, por ser ela uma criaturinha tão frágil.
Os anos se passaram e numa manhã de verão a borboleta não apareceu para visitar o seu companheiro. Ele nem percebeu, preocupado que ainda estava em se livrar do cabresto.
Vieram outras manhãs, até que chegou o inverno e o cavalinho sentiu-se só e finalmente percebeu a ausência da borboleta.
Resolveu então, sair do seu canto e procurar por ela. Caminhou por toda a floresta a observar cada cantinho, onde ela poderia ter se escondido e não a encontrou. Cansado deitou-se embaixo de uma árvore. Logo em seguida, um elefante se aproximou e lhe perguntou quem era ele e o que fazia por alí.
- Eu sou o cavalinho do cabresto e estou a procura de uma borboleta que sumiu.
- Ah, é você então, o famoso cavalinho?
- Famoso, eu?
- É que eu tive uma grande amiga que me disse que também era sua amiga, e falava muito bem de você. Mas afinal, qual borboleta você está procurando?
- É uma borboleta colorida, alegre, que sobrevoava a floresta todos os dias visitando todos os animais amigos.
- Nossa, mas era justamente dela que eu estava falando. Não ficou sabendo?
Ela morreu e já faz muito tempo.
- Morreu? Como foi isso?
- Dizem que ela conhecia aqui na floresta um cavalinho, assim como você e todos os dias quando ela ia visitá-lo, ele dava-lhe um coice.
Ela sempre voltava com marcas horríveis e todos perguntavam a ela quem havia feito aquilo, mas ela jamais contou à ninguém.Insistíamos muito para saber quem era o autor daquela malvadeza e ela respondia que só ia falar das visitas boas que tinha feito naquela manhã e era aí que ela falava com a maior alegria de você.
Nesse momento o cavalinho já estava derramando muitas lágrimas de tristeza e de arrependimento.
- Não chore meu amigo, sei o quanto você deve estar sofrendo. Ela sempre me disse que você era um grande amigo, mas entenda, foram tantos os coices que ela recebeu desse outro cavalinho, que ela acabou perdendo as asinhas, depois ficou muito doente, triste, sucumbiu e morreu.
- E ela não mandou me chamar nos seus últimos dias?
- Não, todos os animais da floresta quiseram lhe avisar, mas ela disse o seguinte:
" Não perturbem meu amigo com coisas pequenas, ele tem um grande problema, que eu nunca pude ajudá-lo a resolver. Carrega em seu dorso um cabresto, então será cansativo demais para ele vir até aqui."

Você pode até aceitar os coices que lhe derem, quando eles vierem acompanhados de beijos, mas em algum momento da sua vida, as feridas que eles vão lhe causar, não serão mais possíveis de serem cicatrizadas.
Quanto ao cabresto, não culpe ninguém por isto, afinal, muitas vezes foi você mesmo que o colocou no seu dorso, ou permitiu que fosse colocado.







Pois é... é bom lembrar de nunca colocar a culpa em alguém pelo fardo que é seu. Como diz o texto, que é a realidade, muitas vezes foi VOCÊ MESMO quem colocou o fardo ou permitiu que fosse colocado. Não machuque alguém que só quer ajudar, estar ao seu lado e te fazer bem. 
Escolhas, e consequências... essa é a ordem!

Fiquem com Deus...